Pesquisar este blog

Carregando...

17 de março de 2010

ARTESANATO NA ANTIGUIDADE (1)

A tempos vinha com essa idéia de montar matérias com peças de artesanatos feitas na antiguidade. Venho fazendo pesquisas nesse sentido a um bom tempo e creio ter reunido um bom material para poder publicar no blog e compartilhar com todas(os) vocês. Afinal, a arte e o artesanato existem desde que o Homem passou a andar com duas pernas, haja visto os desenhos nas cavernas, fora os objetos e utencílios utilizados pelas famílias que eram todos feitos artesanalmente. Durante toda a história da humanidade, desde de seus primórdios, o Homem modificou materiais transformando-os em peças artísticas ou utilitárias.

Uma coisa que percebi rapidamente e que me deixou muito triste foi constatar que, na maioria das peças, o nome do artesão é desconhecido. Por vezes, peças belíssimas que mostram grande capacidade de execução de seu autor. Foram bem poucos aqueles que marcaram seus nomes na historia, como William Morris por exemplo. De um modo geral os artesãos trabalhavam para as empresas que eram contratadas para a execução de peças decorativas para as mais variadas utilizações.

Perceberam que estou me referindo aos 'artesãos' - no masculino? Isso porque, as mulheres não trabalhavam antigamente e para fazer parte de qualquer empresa dirigida à execução de peças decorativas, era necessário ter-se cursos especializantes e mulheres não podiam estudar. Pouquíssimas mulheres conseguiram entrar nesse mercado e mais adiante, vou trazer para vocês uma dessas exceções - Anna Maria Garthwait, uma designer muito conhecida no ramo da elaboração de estampas lindíssimas para as sedas utilizadas na decoração e nos tecidos que enfeitavam as damas.

Inaguro essa nova seção de matérias com uma caixa laqueada que tem um processo muito interessante na sua execução.



Caixa Laqueada


Local de origem: Sindh - que é umas das quatro províncias do Paquistão.

Data: 1850

Artesão: Desconhecido

Material e Técnica: Madeira com aplicação de laca decorativa e posterior desgaste de camadas, revelando diferentes cores entre si.

O uso desse modelo de caixa servia ao seu dono para os mais variados motivos. Essa pequena caixa é feita de madeira recoberta com laca colorida, uma resina natural, que tem um largo espectro de uso nas artes dos subcontinentes Indianos. A laca podia ser misturada com pigmentos como branco de titânio, súlfura, mercúrio vermelho, azul da prússia e índigo, embora por volta de 1903, Sir George Watt escreveu em seu catálogo que esses pigmentos tinham sido largamente substituídos por corantes.

Efeitos metálicos podiam ser produzidos através da mistura da laca com o pó de mica, pó de alumínio ou imitação de folha de ouro. Eram fabricados em forma de bastões que eram, então, pressionadas de encontro ao uma peça de madeira presa em um torno. Conforme a peça girava no torno, o calor gerado amolecia a laca e uma camada muito fina de cor era, então, depositada na madeira. Na grande maioria dos casos, camadas de diferentes cores eram depositadas umas sobre as outras. Daí o artesão fazia os desenhos na caixa e começava um lento e frágil processo de se raspar dentro dos desenhos para que as cores das camadas fossem sendo reveladas. Eram retiradas camadas muito finas durante esse processo e qualquer descuido do artesão na profundidade em que essa raspagem era feita, revelaria outra cor que não a desejada para aquele elemento. Levava-se um longo tempo na confecção de cada caixa feita nessa técnica e o preço das peças produzidas era bem alto. Somente as pessoas de classe abastadas conseguiam adquirir peças como essa.


Repare nessa foto com o detalhe, que as flores vermelhas foram desenhadas e raspadas deixando a mostra uma determinada camada e as folhas, outra camada. E assim sucessivamente. São camadas muito finas que vão sendo desenhadas e raspadas. Essa é a técnica de execução dessa peça maravilhosa.




E hoje em dias algumas artesãs reclamam que tem que esperar a tinta ou determinado produto secar por 12 ou 24 horas - rs.


Espero que vocês tenham gostado dessa matéria e, muito em breve vou trazer mais outras. São todas assim como essa aqui: histórias curtas e bastante elucidativas quanto à tecnica empregada na execução das peças. Além de aumentarmos nosso conhecimento e nossa cultura, passeamos pela época de nossos antecessores no artesanato, conhecendo materiais e técnicas muito interessantes. Quem sabe consigamos resgatar algumas delas utilizando materiais modernos?



Beijo grande e fiquem com Deus!

Lu Heringer





.

14 comentários:

Milai disse...

Oi, Lu!
Uma técnica que dá um efeito muito bonito e para a qual era preciso ter muita paciência. Mas nada se faz sem ela, não é mesmo?
O ebook está engalinhado, ainda não acedi.
Beijinhos

jana-arts disse...

Olá,
gostei muito de você colocar post sobre a estória do artesanato.Realmente é muito importante aprendermos sobre está arte tão do povo, que infelizmente muita gente não valoriza.
Linda esta peça.Adorei.
Beijo e obrigada por compartilhar.

Lu Heringer disse...

Milai, espero que tenha melhorado a condição de seus olhos. Não se preocupe com o manual. Quando der, vc baixa e le com calma, falou? Beijinho para vc, diretamente do Brasil para Portugal - hehe!!

Lu Heringer

Lu Heringer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lu Heringer disse...

Valeu, Jana! Aos poucos vou trazendo outras.

Beijo grande!

Lu Heringer

Anônimo disse...

Lu, gostaria de agradecer imensamente seu carinho em estar colocando os videos do patch no isopor, estou muito agradecida mesmo, no tempo de hoje ninguém passa a informação de graça, sempre querem dinheiro pelas informações e você demonstrou o quanto é boa de coração, mais uma vez, obrigada.
Um beijo Ju
juliana82@ig.com.br
Ahhh, vou tentar fazer e depois te conto se deu certo.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Maria Helena disse...

Lu, parabéns pelo dia do artesão.Gosto muito dos seus vídeos, de modo especial os de tear. Gratíssima pela ajuda e espero que você esteja bem de saúde! Super beijo da Helena Carneiro.

La keka disse...

Solo puedo decir, que es una suerte de tener esta tecnología y personas como ud. que difundan estos conocimientos.
Muchas gracias desde Chile un cariñooso saludo.

Lu Heringer disse...

Gracias, La keka! Besitos desde Brasil!

Lu Heringer.

jana-arts disse...

Olá Lu,
Gostaria de ver alguma coisa saber o artesanato da cultura celta.Esou procurando na Net.e não estou encontrando imagens com esse tipo de trabalho.Falam que é muito rico.
Obrigada.

Atelier Sonhos de Pano disse...

Olá Lu, vim te fazer uma visitinha e fiquei encantada com o seu blog,parabens, vc é uma pessoa iluminada, q Deus te conserve sempre assim, já estou te seguindo para ñ perder nada dessas dicas maravilhosas,um bju grande, Leila

Rosilda disse...

ola! tudo que vc faz e lindo mais estou apaixonada pelo trabalho que a agulha magica faz .estou em duvida o que coloca nos trabalhos pra que os pontos nao se desfaça obs: almofadas e tapetes; beijos Deus te ilumini sempre.
Rosilda Olinda

marisa disse...

estas considerações realmente resgatam uma parte de nossa profissão nos dias modernos do sec XXI. sim certa do trabalho que pessoas como você trouxeram o artesanato dentro da especialidade artes e como sub especialidade artesanato. a parte de fazer artesanato como terapia faz desmerecer o trabalho duro de se encarar semanas e semanas de extrema dedicação para levar a felicidade a outrem seja casamento até reunião sobre marketing,quem não pede a opinião de um artesão está por fora. nós fazemos o design da felicidade de milhares que nos necessitam, graças que temos você para comandar ao ensinar aos iniciantes o princípio de uma boa técnica. já tem até safado, então é profissão mesmo.
abraços marisa